Você Não Precisa de Uma Capa Para Servir a Cristo

Além de cego, ele era pobre e mendigava pelas ruas de Jericó. Ele era cego, mas não era mudo. Quando soube que Jesus de Nazaré estava passando, não cessou de gritar pelo Seu nome: “Filho de Davi! Tem misericórdia de mim!” Ele era cego, mas, através da alma, enxergava a Pessoa de Jesus Cristo: Messias de Israel e Salvador do mundo. Ele era pobre, mas não era covarde. Ainda que a multidão lhe dissesse para calar a boca, não importunar o Mestre, ele clamava ainda mais por Jesus sem ter medo das consequências.

Jesus Cristo ouviu o seu clamor, mandou chamá-lo e o recebeu acima de qualquer outra pessoa dentre a multidão. Apesar dos discípulos, dos fariseus e de todas as pessoas que podiam enxergar naquele dia, somente este cego chamou a atenção de Jesus, mas não porque fosse deficiente visual, não porque fosse carente, não porque fosse um pária para aquela sociedade, mas simplesmente porque ele enxergou Jesus Cristo como Filho de Davi, Filho de Deus.

Embora cego e pobre, ele possuía uma capa para protegê-lo do sol, da chuva, do frio ou do calor. Quando Jesus o chamou, ele deixou a capa para trás na absoluta certeza que não precisaria mais dela. Talvez a capa fosse o seu único bem material e, além de velha, provavelmente foi achada no lixo. Ao abandoná-la, este homem estava dizendo que a sua vida nunca mais seria a mesma. A capa, uma vez tão importante, agora não seria mais necessária, pois Jesus tornar-se-ia a sua cobertura para sempre.

Através da mesma fé, vamos deixar as nossas capas para trás e seguir o Mestre. Abramos os olhos e enxerguemos apenas o Filho de Deus à nossa frente para servi-Lo, amá-Lo e buscá-Lo através da igreja, da Bíblia e da oração. O nome do cego era Bartimeu que significa “imundo”, pois assim ele era visto por seus pais e pelos homens. A sua capa também era imunda ainda que ele mesmo não pudesse ver a sujeira.