Dia das Mães

Todas as mulheres são importantes; porém, as que são mães se destacam entre as mulheres. Elas sempre serão lembradas mesmo depois de sua partida deste mundo. Nós, que já perdemos nossas mães, não passamos um dia sem nos lembrarmos delas. Somos uma extensão de suas vidas.

Dona Lavínia, por exemplo, morreu aos 86 anos de idade depois de dar à luz a 20 filhos. Sua família deixou o estado de Pernambuco para ajudar a construir a cidade de Brasília nos anos sessenta. Sem saber de nada, seu filho Geraldo, com apenas nove anos de idade, engraxava sapatos no bar de um mineiro chamado Durval na cidade de Anápolis, cujo filho recém-nascido seria mais tarde seu companheiro de ministério. Dona Lavínia aceitou a Cristo nos seus últimos anos de vida, mas através de seu filho, Geraldo, ela continua muito viva entre nós.

Dona Noeli já aceitou a Cristo quando jovem e deu à luz a quatro filhos, criando todos eles no caminho do Senhor. Um deles é pastor, uma delas é missionária, outra é esposa de pastor e um dos filhos é músico e membro fiel de sua igreja. Hoje ela cuida de um esposo com câncer severo, mas a sua alegria deve ser imensa com todos esses filhos e netos no caminho do Senhor. Apesar de morar no sul do país, Dona Noeli também está bem presente entre nós através do ministério de seu filho, Pastor Fabiano.

Como vemos, as mães estão por detrás de tudo de bom que recebemos neste mundo. Elas estão por trás do policial que nos protege, do médico que nos cura, do pastor que nos ensina o Evangelho, do professor que nos guia pelo alfabeto e por muitas bênçãos invisíveis. Portanto, elas merecem o nosso amor, o nosso respeito e a nossa gratidão. Mães! Feliz Dia das Mães!