Os Verdadeiros Heróis

OS VERDADEIROS HERÓIS

 

        Se heroísmo é superar um determinado problema de proporção épica, os profissionais da área de saúde são os verdadeiros heróis que insurgiram durante a pandemia do novo coronavírus. Enquanto os políticos brigam pelos holofotes durante esta calamidade e a chamada ciência não oferece nenhum tipo de tratamento profilático e muito menos curativo para a Covid-19, médicos de todos os cantos do país precisam usar a sua própria expertise e terapias empíricas no ímpeto de salvar vidas. Infelizmente, muitas mortes estão ocorrendo, como no caso de Manaus, não por falta de profissionalismo, mas, sim, por falta de leitos, equipamentos e medicações que nunca chegaram ou não chegaram a tempo. Além da falta de apoio logístico e científico, os profissionais na linha de frente correm muito risco de serem infectados com uma carga viral maior desta doença. Até meados de agosto, 257 mil deles já haviam sido contaminados.

        Apesar dos mais de 450 mil médicos no Brasil, sempre houve falta de hospitais e de leitos para a parcela mais humilde da população. Ao invés de hospitais, nós construímos arenas de futebol e, ao contrário de reverenciar policiais, enfermeiros e médicos, nós reverenciamos atletas esportivos. Porém, esta pandemia nos ensinou quem realmente podia ficar em casa, se protegendo do vírus, e quem não teve esta opção por se tratar de um cidadão essencial para a segurança e bem estar da nação. Enquanto muitos líderes nacionais podem despachar do conforto e da segurança de suas casas, os profissionais da área de saúde só podem trabalhar ao lado de seus pacientes enfermos. Eles merecem receber a vacina contra a Covid-19 antes de qualquer um de nós, pois continuarão na linha de frente, salvando mais vidas do que perdendo. Enquanto 210 mil brasileiros foram vítimas fatais do coronavírus, mais de sete milhões e 560 mil pessoas foram curadas. Isso tudo antes da chegada da vacina e sem tratamento cientificamente comprovado, como a mídia gosta sempre de enfatizar.

        Obrigado, nossos verdadeiros heróis! “Portanto, dai a cada um o que deveis... a quem honra, honra” (Romanos 13:7).

 

Rômulo Weden Ribeiro