Basta A Cada Dia o Seu Mal

BASTA A CADA DIA O SEU MAL!

 

        Há muitas razões para se preocupar com o dia de amanhã! A pandemia continuará a nos atormentar por um longo período de tempo e os Três Poderes do nosso país seguirão desarmônicos e contenciosos com a ajuda dos meios de comunicação. Enquanto isso, os ricos ficarão mais ricos e os pobres, incluindo a classe média, serão os mais prejudicados com as restrições sanitárias de combate ao novo coronavírus. Apesar deste cenário tenebroso, há solução para o povo escolhido de Deus. A questão é se estamos dispostos a segui-la.

        A solução mais antiga e eficaz em momentos de perigo é a oração dirigida ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Ele disse: “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes” (Jeremias 33:3). Não sabemos quando o novo coronavírus deixará de ser uma ameaça mundial e muitos menos os tipos de governos que surgirão em nome da ciência, mas temos absoluta certeza de que todos os acontecimentos políticos e religiosos estão contribuindo para a epifania do Senhor Jesus Cristo. Não sabemos se seremos vítimas fatais desta pandemia, mas podemos ter certeza de que iremos para o Céu após a nossa morte. A oração precisa voltar com toda força em nossas vidas, pois até recentemente ela havia perdido espaço para o entretenimento e atividades variadas da própria igreja.

        A Palavra de Deus precisa ser o nosso norte e não a ciência e muito menos a política. Enquanto os homens estão se gladiando no mundo das ideias, o povo de Deus pode descansar nas promessas e ensinamentos sólidos da Bíblia tais como: “Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus” (Lucas 4:4). Esta Palavra, além de prever um futuro trágico para os perdidos, mas maravilhoso para os salvos, também ensina sobre humildade, paciência, submissão e resignação. Não adianta espernear, buscar o que você considera ser os seus direitos se, ao mesmo tempo, você não tem paz com Deus, com os homens e muito menos consigo mesmo. 

        Em momentos como estes, proféticos e catastróficos, Hebreus 10:25 adverte que não podemos abandonar a nossa congregação. Ao contrário, devemos incentivar uns aos outros a que permaneçamos firmes: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”.

        Ao invés de temer o futuro, invista agora no seu presente através de uma vida fervorosa de oração, leitura bíblica e comunhão com o povo de Deus. Feliz Ano Novo!

 

Rômulo Weden Ribeiro