Recesso do Trabalho, Não de Cristo

RECESSO DO TRABALHO, NÃO DE CRISTO

As próximas semanas representarão para diversos de nós um período de recesso no trabalho e uma oportunidade de descanso e reencontro com familiares e pessoas queridas. Isso é bom e necessário, desde que sejamos conscientes de nossas responsabilidades e necessidades espirituais, que não devem ser negligenciadas em prol do lazer e descanso, o que faremos bem em atentar.

Não é de surpreender que as ilusórias promessas deste mundo atribuam a viagens e lugares turísticos um poder que eles não possuem, mas que muitas vezes enganam os filhos de Deus quanto a suas reais pretensões. A cura da ansiedade que aflige a muitos não será encontrada no campo ou no mar, nem os atritos familiares e conjugais serão resolvidos simplesmente por substituirmos a rotina doméstica por alguns dias de folga, assim como alguns dias de descanso não são suficientes para aliviar a culpa por pecados e atitudes que não deveríamos ter cometido. O vazio espiritual de um salvo não pode ser preenchido pelo ócio, por isso, não confunda a necessidade de descanso com a necessidade que todos os salvos possuem de andar diariamente em comunhão com Deus.

Igualmente importante é perceber que o descanso e lazer dos filhos de Deus deve também se submeter aos limites de sua liberdade cristã, por isso, seja criterioso ao escolher o local e a companhia nestes dias de recesso. Lugares onde a nudez e sensualidade imperam e onde vícios e embriaguez são praticados livremente não se ajustam a conduta esperada de um filho de Deus. Dias de descanso não devem ser confundidos com dias desregrados, como se os princípios bíblicos que nos conduzem durante todo o ano fossem cancelados nestes dias.

Como um fiel filho de Deus, utilize este tempo de recesso do trabalho no bom propósito de estreitar sua relação com Cristo e com sua família, mantendo sua mente cativa a verdade exposta pelo apóstolo Paulo ao dizer Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (1 Coríntios 6.19,20).