Quatro Razões Porque Pessoas Incrédulas Não Frequentam A Igreja

QUATRO RAZÕES PORQUE PESSOAS INCRÉDULAS

NÃO FREQUENTAM A IGREJA

 

As reuniões públicas em uma igreja local são abertas a todos aqueles que desejarem se fazer presentes, sempre em dias e horários previamente anunciados a fim de que todos possam programar sua presença. Os cuidados sanitários encontrados nas igrejas estão entre os mais eficazes quando os comparamos com outros locais assiduamente frequentados pela população, sendo muito pouco provável que alguma pessoa tenha sido contaminada durante as reuniões públicas de uma igreja que respeita as normas sanitárias. Então porque, mesmo assim, pessoas incrédulas não frequentam as reuniões públicas promovidas pelas igrejas? Eis um fato a respeito do qual devemos seriamente pensar.

Primeiramente devemos reconhecer que há muitos outros afazeres que agradarão mais as pessoas incrédulas do que se fazer presentes em uma igreja, e, mesmo que a maior parte das pessoas sem Cristo reconheçam a importância de irem a reunião pública de uma igreja, há outras atividades que lhes atraem mais do que se fazer presente à casa de Deus. Da mesma forma, devemos reconhecer que uma rara visita a uma igreja será plenamente suficiente para satisfazer a consciência de uma pessoa sem Cristo por um longo tempo, até que um pensamento fortuito ou um desejo repentino o levem a novamente procurar uma igreja, para que então o mesmo processo volte a se repetir.

É também perceptível o fato que os raros momentos em que pessoas incrédulas efetivamente se fazem presentes em uma reunião pública de adoração se deva a algum acontecimento que lhes fez momentaneamente perceber que precisam se aproximar de Deus, sendo comum que, imediatamente após o desaparecimento desta causa, voltem a afastarem-se por um longo período. É igualmente real o fato que uma das principais razões que afastam pessoas sem Cristo dos cultos nas igrejas esteja ligado ao teor dos sermões apresentados em tais circunstâncias, que invariavelmente as convidarão a um compromisso maior do que aquele que elas consideram realmente necessário, fazendo-as novamente afastarem-se da casa do Senhor.

E dos salvos em Cristo, o que devemos esperar no que diz respeito a frequência as reuniões públicas de sua igreja local? O mínimo que se espera dos tais é que manifestem um comportamento em tudo diferente daqueles que não conhecem a Cristo, como bem o apóstolo Paulo nos exorta “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Coríntios 6.14).