A Obra de Deus Não Pode Parar!

A OBRA DE DEUS NÃO PODE PARAR!

 

        Além dos lojistas, prestadores de serviço e profissionais liberais, as igrejas também foram grandemente penalizadas com as medidas de lockdown impostas pelas autoridades locais e estaduais. Com absoluta certeza, os templos religiosos, seguindo rigorosamente o protocolo sanitário contra a Covid-19, são lugares muito mais salubres que supermercados, farmácias, agências bancárias, lotéricas e os transportes públicos que nunca deixaram de circular, mas, inexplicavelmente, com frotas reduzidíssimas, causando mais aglomerações e contaminações inevitáveis.   Apesar de todas as dificuldades que foram criadas com os decretos governamentais, as igrejas passaram por um processo de purificação e reflexão quanto à sua importância no desenvolvimento espiritual, mental e emocional de seus membros.

        Em meio às guerras de narrativas produzidas pela Grande Mídia, pelo movimento mundial em favor da globalização e pelos representantes políticos de sempre, a Igreja Neotestamentária trouxe explicações plausíveis e elucidativas para os filhos de Deus que não se deixaram intoxicar com as mentiras e muitos menos com as meias-verdades que estão sendo propagadas diariamente pelos órgãos de informação. O Estado de Medo utilizado para controlar as massas não afetou a fé e a confiança do crente que escuta e segue a Palavra de Deus. O cristão bíblico é um privilegiado, pois ele conhece o começo, o meio e o fim desta história e sabe que a pandemia do novo coronavírus tem sido apenas um grande ensaio para o período da Grande Tribulação que há de vir. No mundo inteiro, vários líderes políticos e científicos cumpriram na íntegra o espírito do anticristo que por sete anos irá tolher completamente todos os direitos individuais dos habitantes da Terra.

        Ao invés de enfraquecer a Igreja Neotestamentária, a pandemia tem sido usada por Deus para renovar a nossa visão quanto ao tempo que nos resta neste mundo. Pedro disse: “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração” (I Pedro 4:7). Aqueles que estavam planejando uma aposentadoria robusta, vida longa para os pais e para os filhos, agora estão mais cientes sobre a brevidade da vida física e a importância da vida espiritual, pois só ela é eterna. As pregações serão mais substanciadas, os cultos serão mais impactantes, os relacionamentos serão mais santos e o nosso compromisso com Deus, mais sério!

 

Rômulo Weden Ribeiro