O Que eu Preciso Fazer Para Ser Feliz?

O QUE EU PRECISO FAZER PARA SER FELIZ?

 

        A Declaração de Independência dos Estados Unidos não garantiu a felicidade como um direito inalienável, mas, sim, que todos os norte-americanos teriam o direito de buscá-la. O Estado, além de não poder atrapalhar este intento, teria o dever de auxiliar os cidadãos na busca pela felicidade. Os revolucionários da independência norte-americana se basearam na Bíblia que também oferece felicidade—não de mãos beijadas—mas como um alvo para se buscar durante a nossa vida.

        O primeiro passo para ser feliz é aceitar e seguir os princípios da Palavra de Deus. Salmo 1:2 diz: “Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite”. Meditar significa ruminar sobre os ensinamentos que recebemos desde a última leitura que fizemos da Bíblia até a última pregação que ouvimos através do culto de nossa igreja. As pessoas que esquecem facilmente do que leram e do que ouviram a respeito de Deus são aquelas que não meditam sobre a Palavra, mas ficam mastigando noticiários a respeito de política e de uma pandemia que se instalou no mundo.

        Se o primeiro passo para ser feliz é amar a Palavra de Deus, o segundo passo, semelhante a este, é colocá-la em prática. Salmo 1:1 diz: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. A Palavra de Deus não nos oferece paz e alegria como sentimentos abstratos, mas como alvos tangíveis que precisamos alcançar; dentre eles, a salvação através de Jesus Cristo e a realização do plano dEle em nossas vidas. É impossível ser, ao mesmo tempo, feliz e perdido ou feliz e desertor do caminho de Deus.

        O que muitos chamam de felicidade, a Bíblia chama de “prazer do pecado” cuja duração é passageira, mas as consequências são amargas. Paulo provou que alegria não depende de uma situação favorável, mas, sim, de uma certeza absoluta. Ele estava prestes a ser executado de dentro de uma prisão quando escreveu para a igreja, falando sobre gozo: “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” (Filipenses 4:4). Uma igreja feliz, em plena pandemia e lockdown, parece um paradoxo para o mundo, mas para Deus seria a atitude mais normal que Seus filhos poderiam demonstrar neste momento.

 

Rômulo Weden Ribeiro